Cada dia aparece algo para esquecer, aprender e agradecer.

07/08/2016 21:54
cuidardoser |

Cada dia aparece algo para esquecer, aprender e agradecer
Esquecer é a arte sutil que nos permite aprender e dar valor a coisas que importam de verdade, onde o agradecimento reveste de intensidade cada ato vivido, cada emoção sentida. Porque a beleza da nossa existência está precisamente nos atos mais simples, mais puros.

Saber agradecer, poder aprender e se permitir esquecer determinadas coisas não é apenas a base de muitas filosofias e religiões. É a base do bem-estar mental. Técnicas como a “liberdade emocional”, por exemplo, enfatizam a necessidade de nos sentirmos livres, de não nos apegarmos às emoções negativas para sermos capazes de agradecer pelo que somos e de continuarmos aprendendo, experimentando…

Ignorante é aquele que não vê mais além das suas obsessões, que não é capaz de perdoar para poder se libertar do sofrimento, e que se nega a aprender com as coisas simples para enriquecer a sua alma.
Constantemente estamos submetidos a esse barulho mental que nos impede de priorizar o que é importante. A ansiedade, o estresse ou o hábito de postergar a felicidade para “quando eu tiver, quando eu for, quando eu conseguir” nos impedem de ver estas dimensões que deveriam ser a partitura da nossa melodia cotidiana.


Convidamos você a refletir sobre a gratidão, o esquecimento e a capacidade de aprender.

Perdoar é bom para o cérebro

Perdoar é um ato de coragem que nem sempre conseguimos realizar. Costumamos interpretar o perdão como um ato de rendição, quando na verdade é uma forma de libertação emocional com a qual deixamos de ser cativos daquilo que nos prejudicou. É uma forma de quebrar o vínculo com a dor, de fechar etapas.

Robert Alder é pioneiro na chamada “psiconeuroimunologia”, e ele explica que existe uma relação muito íntima entre as emoções e a saúde, a ponto da atitude de armazenar rancor, raiva ou frustração afetar diretamente nosso sistema imunológico: somos mais vulneráveis às doenças.
As emoções negativas afetam especialmente o nosso sistema nervoso autônomo, que rege as funções não voluntárias do corpo.
O rancor, do mesmo jeito que o estresse, eleva a adrenalina, a noradrenalina e o cortisol no sangue, bloqueando a função das células que defendem o corpo.
Perdoar é a melhor atitude que podemos ter pela nossa saúde e o nosso equilíbrio emocional, é cortar a amargura para abrir as portas a novas oportunidades.

A capacidade de aprender para nos adaptarmos melhor

Aprender não é acumular dados, datas ou memorizar. Aprender é o ato de avançar como pessoa se reinventando a cada dia para se adaptar melhor ao entorno. Quem é rígido nos seus esquemas de pensamento nunca poderá ver mais além da armação dos seus próprios óculos.

Aprender é descobrir algo novo a cada dia para melhorar como pessoa, para reconhecer os erros e superá-los, para admitir abordagens alheias que podem ser tão válidas quanto as nossas.
Também não devemos passar por cima da necessidade de armazenar “reserva cognitiva”. Segundo pesquisas realizadas na Universidade de Rioja, Espanha, quanto maior a atividade cerebral desenvolvida ao longo das nossas vidas, melhor enfrentaremos a velhice e qualquer doença mental possível.
É preciso entender que a própria existência é um aprendizado contínuo que devemos assumir com fé e abertura mental e emocional.

Aprenda algo novo todo dia, só assim você poderá amadurecer, “florescer” e melhorar para se aproximar desse ideal de pessoa que está no seu interior esperando emergir.

Em 2003 Emmons e McCullough realizaram uma pesquisa interessante no qual pediram a um grupo de pessoas que, durante alguns meses, anotassem em uma caderneta aquilo pelo qual deveriam se sentir gratos ao longo do dia. Ao outro grupo, pediu-se que refletissem sobre tudo que tivesse sido negativo ao longo dos seus dias.

Os resultados foram muito significativos: as pessoas capazes de apreciar e agradecer têm uma vida mais plena e satisfatória.
Não se trata apenas de sermos capazes de agradecer as atitudes que os outros fazem por nós. A arte de ser grato também é a virtude de ver em nós mesmos aspectos positivos.
O agradecimento também tem os seus benefícios no cérebro: reduz a sensação de estresse e a ansiedade, desfrutamos de uma melhor qualidade de sono e diminui inclusive o risco de depressão.
Agradecer é valorizar o que temos e o que somos, é iniciar um círculo virtuoso onde deixamos de lado as emoções negativas e nos permitimos ser mais receptivos para a simplicidade do nosso entorno e para os relacionamentos pessoais.

Quase sempre pensamos no que falta, no que não temos, no que perdemos, quando na verdade deveríamos agradecer pelo que temos e avançar sem rancor, permitindo-nos aprender a cada dia com esperança junto daqueles que nos rodeiam.